quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Arábia Saudita aplica lei religiosa e decapita mulher

Arábia Saudita aplica lei religiosa e decapita mulherArábia Saudita aplica lei religiosa e decapita mulher
Um acontecimento do dia 12 de janeiro dá fortes indícios que o Estado Islâmico não é o único movimento muçulmano que defende a decapitação como forma de punição. Eles estão apenas levando a cabo o cumprimento da sharia – leis religiosas muçulmanas.
Um vídeo ganhou as redes sociais e causou grande polêmica. A gravação mostra autoridades da Arábia Saudita decapitando publicamente uma mulher na cidade de Meca, local mais sagrado da religião islâmica.
Laila Abdul Muttalib Basim, nascida em Myanmar, mas que residia na Arábia Saudita, teve sua cabeça cortada com golpes de espada após ter sido arrastada por quatro policiais pelas ruas. Ela era acusada de ter violentado sexualmente e matado sua filha de sete anos. O vídeo mostra a mulher gritando repetidas vezes “não matei, não matei” e pedindo clemência.
Um homem vestido de branco com uma espada ritual dá três golpes até dividir a cabeça do restante do corpo. O ministro do Interior da Arábia Saudita afirmou em comunicado que a sentença levava em conta a gravidade do crime. Segundo ativistas de direitos humanos, a prática vem crescendo no país. Foram 78 decapitações em 2013; 87 em 2014 e neste ano já chagaram a sete apenas em janeiro.
Um dos principais fornecedores de petróleo do mundo e importante parceiro comercial dos EUA, a Arábia Saudita geralmente não recebe o mesmo tipo de acusações de violação de direitos quanto outros países árabes. Segundo a lei vigente, vários crimes, incluindo homicídio, violação sexual, adultério ou assalto à mão armada podem ser punidos com pena de morte.
Os métodos mais comuns, são a decapitação e o apedrejamento. Também há casos em que o culpado é açoitado publicamente, como o caso recente do blogueiro Raif Badawi, sentenciado a mil chicotadas e 10 anos de prisão por ter criado um site onde defende o liberalismo, incluindo a diminuição da influencia da religião no país. Ele receberá chicotadas publicamente todas as sextas-feiras – dia sagrado no Islã – durante 18 meses, quando sua pena será completa.
Na Arábia Saudita não existe liberdade religiosa, as igrejas são proibidas e até mesmo carregar uma Bíblia é considerado crime.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

SEXTA-FEIRA É O NOSSO DIA, O DIA DOS EVANGÉLICOS - PARABÉNS GUERREIROS

Na próxima sexta-feira (23) é feriado no Acre em comemoração ao Dia do Evangélico. O Dia do Evangélico foi criado em 2004, através de um projeto de lei do deputado Helder Paiva (PEN), aprovado pela Assembleia Legislativa do Estado do Acre (Aleac) e sancionado pelo então governador Jorge Viana.
De acordo com o último censo do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística (IBGE) de 2010, Rio Branco é a capital com mais evangélicos no país. Com 39% da população sendo evangélica, o Acre possui 239.589 mil protestantes em todo o estado.
O dado faz parte de uma tendência religiosa que ocorre no Brasil, onde há duas décadas o número de católicos vem caindo e o de evangélicos crescendo, sendo a religião escolhida por 22% dos brasileiros.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

“A alma pode abandonar o corpo e observá-lo”, afirmam cientistas

“A alma pode abandonar o corpo e observá-lo”, afirmam cientistas
Um estudo realizado por uma equipe de pesquisadores holandeses chegou à conclusão de que a alma das pessoas que passam por um estado de morte clínica abandona o corpo físico e pode observar nitidamente o que acontece em seu entorno.
Segundo o History Channel, os cientistas reuniram mais de 70 casos de pessoas que conseguiram relatar suas experiências durante o lapso em que estiveram clinicamente mortas e estabeleceram que a consciência pode viver além do cérebro, apesar de que o mundo tal qual o percebemos seja acessível apenas através dos sentidos físicos.
Um dos casos citados no estudo foi o de um paciente que ficou clinicamente morto por 20 minutos, após uma cirurgia cardíaca de alto risco e que, inesperadamente, voltou à vida. Segundo os cientistas, após sua ressurreição o paciente apresentou um relato preciso sobre as cenas que rodearam sua morte transitória.
Segundo os autores do estudo, ele descreveu uma luz brilhante no fim do túnel e contou como saiu de seu corpo. Além disso, ele teria visto os médicos conversando e indicou o lugar e o modo exato de como estavam parados. O paciente descreveu também, com exatidão, as anotações médicas que a enfermeira fazia no computador durante sua “morte”.
Após analisar dezenas de casos como esse, a conclusão dos autores do estudo foi de que estes pacientes estiveram de fato conscientes e fora de seus corpos durante o estado de morte clínica. Do contrário, explicam os pesquisadores, não seria possível a eles descrever as cenas ocorridas durante sua morte clínica tamanha precisão.

Após sair de clínica reabilitação, Renner anuncia que será cantor gospel

Após sair de clínica reabilitação, Renner anuncia que será cantor gospelApós sair de clínica, Renner anuncia que será cantor gospel
O cantor sertanejo Renner ficou em uma clínica de reabilitação em Florianópolis para se livrar do alcoolismo. No final do ano passado ele se envolveu em um acidente de trânsito.
Não houve vítimas, mas Renner foi preso após o teste do bafômetro acusar uma quantidade de álcool acima da permitida por lei. Seu companheiro Rick pagou a fiança de 10 mil reais e o tratamento.
Segundo o jornal Extra, o cantor sertanejo é evangélicodesde 2010 e agora irá abraçar a carreira gospel. Rick, que também é evangélico e fazia parte da dupla com Renner, já anunciou que a parceria acabou. Renner tem um CD de música religiosa gravado, mas que nunca foi lançado. Agora pretende recomeçar sua carreira e procura gravadora, mas não tem data para ser lançado.
Renner passou apenas três dias em tratamento e já voltou a São Paulo para “cuidar da família”. O jornal aponta que o cantor está passando por sérios problemas financeiros. Com uma dívida que já ultrapassa R$ 3 milhões.
Seu processo de endividamento iniciou em 2010, quando a dupla rompeu pela primeira vez. Ele não honrou compromissos com três financeiras. Além disso, tem feito diversas manobras para não precisar pagar a indenização de um acidente automobilístico causado com ele que fez duas vítimas fatais em 2001. Ele está respondendo o processo em liberdade.

Estado Islâmico divulga vídeo onde criança executa dois homens



Estado Islâmico divulga vídeo onde criança executa dois homensEI divulga vídeo onde criança executa dois homens
O Estado Islâmico divulgou nesta terça-feira (13) um novo vídeo mostrando a execução de dois homens. Dessa vez quem aparece matando os reféns é um garoto que aparenta ter entre 8 e 12 anos de idade.
O soldado-criança atira na parte de trás da cabeça dos reféns que se assumem, no começo do vídeo, como agentes russos.
Uma das vítimas se identifica como Mamayev Jambulat, um agente do serviço de segurança da Rússia (FSB) que teria sido enviado pelo governo para reunir informações sobre o EI. O homem diz que nasceu no Cazaquistão e por isso uma criança cazaque participou da execução.
O segundo refém morto se apresentou como Sergey Nikolayavich que se apresentou como um agente russo enviado para localizar e matar um líder específico do EI. Antes de morrer o homem diz que já foi muçulmano.
O soldado do EI que aparece ao lado do menino recita versos do Alcorão e depois diz: “Alá presenteou a agência de segurança do Estado Islâmico com a apreensão destes dois espiões”.
O vídeo foi editado com legenda em inglês e ainda mostra um texto sobre o soldado-criança:
“A honra está firmemente na terra do califado, acima dos cadáveres da descrença daqueles que jazem humilhados sob os pés deste jovem combatente. Os exemplos ressoam em seus corações, alimentando um fervor inflexível em matar os inimigos de Alá. E Alá sempre responderá à súplica deste combatente”.

Homem compra escravas sexuais no Iraque para devolvê-las à família

Por razões de segurança, ele não pode ser identificado, mas um iraquiano anônimo vem sendo chamado de herói pela mídia cristã alternativa por realizar o impensável. Mesmo arriscando sua vida, ele tem entrado em regiões do Iraque controladas pelo grupo terrorista Estado Islâmico (EI) e comprado meninas cristãs, muçulmanas e yezidi que são vendidas como escravas sexuais para quem tiver dinheiro e interesse.
Após resgatá-las ele as ajuda a reencontrar suas famílias. No final do ano passado, foi divulgado um vídeo onde ele aparece levando para casa uma jovem yezidi e a devolve para o pai. A família não tinha noção de onde ela estava desde que fora sequestrada pelos soldados do EI.
Publicado originalmente pelo site Shoebat, multiplicou-se rapidamente na internet, chegando a quase 100 mil visualizações no primeiro mês.
Segundo o Shoebat, ele poderia ser considerado um “Moisés moderno”, que tem libertado escravos das garras de seus opressores. Não há detalhes de quantas meninas ele já salvou, mas trata-se de uma atitude nobre, que não recebe atenção dos meios de comunicação de massa.
Previsto pelo Alcorão na Sura 4:24, a prática é explicitada em tempos de guerra – como a que os soldados do EI acreditam estar lutando. A maioria de suas prisioneiras são cristãs e yazidies, uma minoria religiosa do Curdistão.
Relatos, como os da organização não governamental Humans Rights Watch, mostram testemunhos de mulheres que serviram como escravas contando que crianças também são compradas e vendidas.
Uma das edições da revista online Dabiq, publicada em inglês pelo EI justifica o uso de mulheres “infiéis” como escravas sexuais. O artigo intitulado de “A recuperação da escravidão antes da hora” afirma que o EI restabeleceu a escravidão em seu califado. Nos leilões, o preço varia. Quanto mais nova, maior o valor pedido.
Segundo o Daily Mail, existe uma espécie de tabela. Os valores são aproximados, considerando que o câmbio varia semanalmente.
Tabela---Preço-Escravas-do-EI
Assista:

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

PROJETO NATAL SEM FOME NOVA CANAÃ


























O Projeto Natal sem Fome Nova Canaã foi um sucesso! 
Varias famílias foram abençoadas com sacolões e roupas e com o principal, a Palavra de Deus.  

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Preso líder de seita demoníaca que estuprava menores

Preso líder de seita demoníaca que estuprava menoresImagem ilustrativa
Meninas faziam invocações, bebiam sangue de animais e tinham que matar um desafeto.
A Polícia Civil do Amazonas apresentou Renato Reis Fragata, 30 anos, como o líder de uma seita demoníaca. Ele é suspeito de ter violentado mais de 70 adolescentes, além de obriga-las a participar de rituais de magia negra.
Os crimes ocorreram nas cidades de Parintins e Iranduba, e foram desvendados após algumas vítimas fazerem denúncias. As adolescentes envolvidas têm entre 13 e 17 anos. O suspeito admitiu que teve relações sexuais, mas que era consensual. Ele conta que se aproximava das jovens na porta das escolas e fazia contatos por redes sociais. Diante dos repórteres limitou-se a dizer: “Eu represento Lúcifer na terra”.
Paulo Mavignier, delegado titular de Iranduba, relata: “Motivadas pela curiosidade, essas garotas acabavam aceitando participar do grupo satânico. Ele, então, repassava orações satanistas baixadas da internet para as vítimas e realizava rituais de iniciação. Para evoluírem na seita, as meninas tinham que fazer duelo de orações, beber sangue de animais, matar um desafeto e, por fim, manter relações sexuais com ele. Segundo o depoimento do Renato e de algumas vítimas, ao fazer sexo com ele, as garotas receberiam o poder que ele dizia ter, transformando essas meninas em bruxas”. Não há comprovações que nenhuma delas tenha cometido um homicídio, mas admitem terem seguido os rituais.
Em depoimento à polícia, ficou confirmado que ele manteve relações sexuais com 13 garotas em Iranduba e mais de 60 em Parintins. Algumas vezes, o contato sexual era feito nos cemitérios das cidades.
seitademoniaca Preso líder de seita demoníaca que estuprava menoresRENATO REIS FRAGATA
Renato vai responder pelos crimes de estupro de vulnerável, corrupção de menores e por divulgação de material pornográfico de adolescentes. A polícia investiga um caso de aborto realizado pelo suspeito.
“Uma das meninas engravidou de outro homem e o próprio Renato acabou realizando um procedimento de aborto. Segundo ele, o aborto teria sido feito através de uma oração, mas isso ainda estamos investigando”, esclarece o delegado Mavignier.