segunda-feira, 11 de maio de 2015

Pastores cristãos divergem opiniões sobre Bíblia queimada em Sarau Ateu da Ufac




PASTORES_CAPA
João Renato Jácome, de Rio Branco (AC)
A queima de um exemplar da Bíblica Sagrada, livro-chave para a vida dos cristãos, durante um evento cultural nas dependências da Universidade Federal do Acre (Ufac), em Rio Branco (AC), continua causando polêmica e fortes discussões entre os líderes religiosos do Acre. Entre pastores evangélicos e padres, só há um posicionamento indiscutível: o perdão.
A palavra que ensina como os cristãos devem se portar diante de uma situação como essa, onde o maior símbolo confirmador da passagem de Jesus Cristo pela Terra é, na opinião de muitos, desrespeitada, faz com que líderes religiosos se manifestem contrários à atitude e favoráveis à punição dos responsáveis pelo ato, por exemplo.
Mas, o que muito se tem falado, é que uma universidade é local de debates e discussões que visem desenvolver conhecimentos ou edificar o currículo de profissionais e acadêmicos. A própria atualidade exige mentes ainda mais abertas e dispostas a se desfazerem de preconceitos ou intolerâncias, sejam elas às culturas ou conceitos religiosos.
É nesse sentido que o pastor Agostinho Gonçalves, de 55 anos, presidente da Igreja Batista do Bosque (IBB), acredita que não houve pior momento para que uma Bíblia fosse queimada, senão este. Para o líder, que pastoreia uma das maiores igrejas do Acre, nunca durante toda a vida ele teria visto um ato tão desrespeitoso. Para Agostinho, o exemplo servirá de ensinamento aos cristãos que, em sua grande maioria, se surpreenderam com o ato.
“O que se espera de uma universidade? A universidade é lugar de quê? Isso tudo tem a ver com o homem energúmeno [indivíduo que está desnorteado, violento, fanático e possuído pelo demônio]. Eu nunca vi, nem tenho notícias de um caso desse em um evento acadêmico. Eu fiquei muito impressionado. A universidade sempre foi o lugar das grandes ideias, das grandes descobertas,”afirma o protestante.
O pastor acredita que o fato foi “completamente desnecessário”. A intolerância, para ele, é a “maior expressão fundamentalista dentro do academicismo”. Para o líder evangélico, os jovens cometeram um crime, mas ainda assim, merecem ser “perdoados”, ato que revelará o amor cristão e a forma mais correta de se apresentar, segundo os princípios ensinados por Cristo Jesus.
unnamed
“Eles quebraram, crendo ou não, um princípio espiritual. Isso foi uma desonra ao próprio Deus; a Bíblia é Deus se revelando!” – AGOSTINHO GONÇALVES, pastor evangélico.
“Eu reconheço que devem ocorrer processos. E, se eles não se arrependerem mesmo, de coração, pois eles destruíram os princípios cristãos. A Bíblia não é um livro, a Bíblia é uma revelação. É a Bíblia é o primeiro livro de Direito do mundo. O primeiro livro de garantia de Direitos. A Bíblia protege a mulher. Foi Jesus, está na Bíblia, que garantiu os primeiros direitos das mulheres. Esse evento ajudou e ajudará muito no crescimento da igreja evangélica no nosso Estado”, acredita o pastor.
Diferentemente, a apóstola Dayse Costa, que pastoreia a Igreja Batista Renovada, também na capital acreana, acredita que o jovem que queimou a Bíblia precisa ser responsabilizado juridicamente pelo ato de “desrespeito” e “intolerância religiosa”. Mesmo assim, a líder evangélica diz que aguarda nova atitude do tipo para tomar providencias junto à Justiça e à polícia, se necessário.
Para Dayse, o ato foi recebido com muita tristeza e surpresa. Ela conta que histórias como essa só foram vistas nos “livros de história” e que dizer que não creem em algo não é motivo de justificativa para queimar um exemplar do livro que guia os cristãos.
Com 30 anos no protestantismo, Dayse diz que os evangélicos se sentem “agredidos no nosso símbolo maior de culto, que é a palavra de Deus”, mas a pastora também acredita, que a Bíblia não precisa de defesa, porque ela própria é a “verdade” e Deus, e o próprio defensor de seus bens.
unnamed (1)
“A Bíblia não precisa de defesa. Ela própria é a verdade!” – DAYSE COSTA, apóstola da Igreja Renovada
“Estamos realmente muito aborrecidos com a atitude desse rapaz. Isso é algo muito revoltante. Ainda nãom está totalmente descartado isso [o processo jurídico]. Não precisa de muitos boletins. O alvo não é esse. A questão é fazê-lo ver e entender a gravidade da ação por ele praticada”, esclarece.
Quanto ao lado política do caso, a líder da Igreja Renovada, uma das mais conhecidas de Rio Branco, acredita que “estado laico” não tem nada a ver com “estado ateu”, analisa ao dizer que é necessário maior transparência quanto à participação do governo do estado e da prefeitura na organização do evento ateu.
“Muitos jovens infelizmente não tem envolvimento com a política, nem um pouco de conhecimento. E aí está o perigo disso”, diz ao comentar que se os estudantes querem se opor a algum tema eles podem procurar outros meios para tal.
Já o vice-presidente da Igreja Evangélica Assembléia de Deus, o pastor Jucemir Bernardino de Farias, líder espiritual há 19 anos, acredita que nesse momento é necessário ter muita “misericórdia” dos jovens organizadores do evento em que tudo isso aconteceu.
unnamed (2)
“Temos um sentimento de misericórdia!”- JUCEMIR BERNARDINO, vice-presidente da Igreja Assembleia de Deus
Jucemir contou das experiências enquanto cristão e afirmou que nunca viu “algo semelhante em toda a vida”. O pastor, durante entrevista, lembrou sobre as regras impostas pelo Código Penal Brasileiro (CPB) e classificou como “ignorância” agir como Felipe Zanon [organizador do Sarau Ateu], Jonh Meckfild Potter [que fumou a folha da Bíblia] e Roberto Oliveira da Silva [que queimou um exemplar do livro sagrado].
“Nós lamentamos e repudiamos essa atitude, mas ao mesmo tempo temos um sentimento de misericórdia. Nós, como cristão, nesse primeiro momento, apenas repudiamos a prática. Mas se isso se repetir, vamos tomar as medidas cabíveis necessárias”, alerta o pastor.
Mas não foram apenas os protestantes que se manifestaram acerca do episódio. O padre Mássimo Lombardi, da Diocese de Rio Branco, emitiu carta para o jovem Roberto, que queimou o exemplar um show da banda Violação Anal, nas dependências da Universidade Federal do Acre (Ufac), na sexta-feira, dia 1º de maio.
Ao jovem, Mássimo lembrou sobre os “vários cursos bíblicos lhe foram oferecidos onde a Palavra de Deus era lida e meditada à luz da revelação do amor de Jesus, fugindo do fundamentalismo, pois a Bíblia é para nós instrumento de paz, de amor, de respeito e não pode se tornar uma arma de morte, como acontece nas mãos de alguns.”, escreveu o padre.
Lombardi está na Itália, mas fez questão de se manifestar sobre o caso. “Pelos ateus que conheço, pela tua pessoa que respeito, eu sei que todos vocês são garimpeiros da verdade, caçadores de autenticidade, defensores da tolerância, contra toda discriminação e exclusão”, lembra o pastor católico ao dizer o seguinte:“Me permito manifestar a minha preocupação por este gesto de queima-biblia. No mundo de hoje as guerras começam quando se mexe com os sentimentos religiosos, que constituem a alma mais profunda do sentido da nossa vida e da vida dos povos. Religião é’ para ligar, unir harmoniosamente povos, raças, nações e culturas”, alerta o missionário.Ainda segundo Mássimo, “queimar bíblias, quebrar imagens, humilhar o outro pela religião que professa, satanizar a crença do próximo, hoje, no terceiro milênio, constitui um atraso cultural imperdoável para um universitário”, finaliza.
CASO DE POLÍCIA
O episódio ocorrido durante um sarau de ateus na Ufac em que o vocalista da banda de rock Violação Anal, Roberto Oliveira, queimou um exemplar da Bíblia Sagrada, será investigado pela Polícia Civil, informou por meio de nota o governo do Acre, na noite desta sexta-feira,08.“O ato é considerado um vilipêndio ao culto religioso, tipificado como crime pelo Código Penal Brasileiro. O governo do Acre defende a liberdade de expressão e também a liberdade religiosa de qualquer crença ou credo. Vivemos em um Estado laico no qual todas as opiniões devem ser respeitadas e toleradas”, diz parte da nota.A reação ocorre depois de severas críticas feitas por cristãos, especialmente evangélicos via redes sociais e líderes religiosos contra o financiamento público ao evento.
VÍNCULO PARTIDÁRIO
O clima no Partido dos Trabalhadores (PT) não está frio, muito pelo contrário, a chapa tem esquentado nos últimos dias. A Executiva Regional do partido emitiu Nota Oficial negando que o jovem Felipe Zanon, seja filiado à sigla. O jovem respondeu à altura e fez criticas ao PT.
Segundo o documento, assinado por Ermício Sena, o Partido dos Trabalhadores “não reconhece o cidadão em questão [Felipe]”, ali chamado de “idealizador” do evento que gerou polemica nacional, como um membro “filiado ao partido”, afirma a Nota do PT.
Conflitando com o que Zanon chegou a dizer nas redes sociais, o representante do partido afirmou que a sigla mantém respeito “a todas as crenças e religiões”, tendo tal prática como “salutar e indispensável”, no campo da democracia.

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Jovem que queimou a Bíblia na Ufac diz que não se arrepende, mas pede perdão aos cristãos - ASSISTA VÍDEO


unnamed (1)
Roberto afirma que ato pode prejudicar sua vida profissional
A reportagem do ac24horas conversou por telefone com o acadêmico do curso de filosofia da Universidade Federal do Acre (Ufac), Roberto Oliveira da Silva, que foi fotografado e filmado queimando um exemplar da bíblia sagrada na apresentação de sua banda de Rock, Violação Anal, no Sara(te)u, no 4ª Encontro Nacional dos Ateus (ENA), realizado nas dependências da Ufac.
Roberto da Silva fez um desabafo acerca da repercussão do vídeo que, inicialmente, foi divulgado numa emissora local e que já se propaga nas redes sociais. O rapaz faz questão de destacar que não é um intolerante religioso. Ele atribui a polêmica ao fato de ter suscitado um tabu religiosos, porém diz não se arrepender do feito.
“Quem me conhece sabe no que eu acredito, e sabe que não sou intolerante religioso. O problema todo se deu porque mexi em algo que é considerado TABU, ou seja, Deus é intocável. Não me arrependo de ter feito o que fiz. Se pudesse voltar atrás faria exatamente o mesmo. A repercussão negativa se deve em parte a mídia sensacionalista daqui de Rio Branco. Se eu tivesse queimado uma bíblia satânica, os cristãos provavelmente teriam aplaudido”.
Roberto reconhece que “no exercício da sua liberdade acabou violando, em parte, a liberdade de culto que é garantida constitucionalmente e que embora reconheça que possa ter sido desrespeitoso, ele assegura que não tinha como objetivo fazer, em nenhum momento, apologia à perseguição ou intolerância contra os cristãos.
“Gostaria de me desculpar com os cristãos que porventura ofendi. Por outro lado, mantenho-me firme, dizendo não a todo fundamentalismo que fere e restringe à liberdade do ser humano. Que abomino e repudio a atitude das emissores de TV, que tripudiam em cima da minha imagem e incitam o ódio religioso contra mim”.
Roberto lamenta o fato de que os mesmos que falam de tolerância e que se orgulham de serem cristãos são os mesmos, segundo ele, que hoje o ofendem. “Eles (cristãos e religiosos em geral) falam de tolerância, andam arrotando seu orgulho de serem cristãos, mas ofendem a mim e a minha família. E agora nós perseguem prejudicando-nos no trabalho e constrangendo pessoas próximas de mim. Outra coisa que gostaria de esclarecer é que não milito a favor do Ateísmo porque não acredito em ateísmo institucionalizado, o mesmo nesta forma não passa de mais uma religião. Não quis ofender nem ferir o credo de ninguém. Mas se incomodei, que reflitam sobre as suas práticas mediante a minha. Já faz tempo que não acredito que é certo virar a outra face quando te batem”.
Roberto Silva aproveita para questionar a sociedade e aqueles que os criticam sobre o que realmente é importante. “O que é realmente importante? Tantas coisas mais pertinentes acontecendo a serem discutidas e todo esse alvoroço por isso: Estudante de filosofia queima livro! Durante muito tempo da minha vida quis ser exemplo pra muita gente, principalmente, quando estava na igreja, hoje só quero ser eu mesmo, vivendo minha vida e isso me basta. Nisto pra mim, consiste a liberdade e ser livre!”
Por fim, o acadêmico esclarece que não tem nenhum vínculo com siglas partidárias. “Não tenho nenhum vínculo com o Partido dos Trabalhadores (PT). Não acredito em siglas partidárias, mas numa política que visa o bem de todos”.

PT NEGA FILIAÇÃO DE LÍDER DOS ATEUS

unnamed
Apesar de negar filiação de Ateu, Ermicio Sena, presidente do PT, aparece em várias imagens ao lado de Felipe Zanon durante a última campanha na disputa do governo do Acre
O clima no Partido dos Trabalhadores (PT) não está frio, muito pelo contrário, a chapa tem esquentado nos últimos dias. Desta vez, a Executiva Regional do partido emitiu Nota Oficial negando que o jovem Felipe Zanon, organizador do Sarau de Ateus realizado nas dependências da Universidade Federal do Acre (AC), na última sexta-feira, dia 1º, seja filiado à sigla. O jovem respondeu à altura e fEZ criticas ao PT.
Segundo o documento, assinado por Ermício Sena, o Partido dos Trabalhadores “não reconhece o cidadão em questão [Felipe]”, ali chamado de “idealizador” do evento que gerou polemica nacional, como um membro “filiado ao partido”, afirma a Nota do PT.
Conflitando com o que Zanon chegou a dizer nas redes sociais, o representante do partido afirmou que a sigla mantém respeito “a todas as crenças e religiões”, tendo tal prática como “salutar e indispensável”, no campo da democracia.
Felipe Zanon não deixou por baixo e respondeu a atitude do Partido dos Trabalhadores. Ele, que segundo a sigla, não é filiado, tem bastante envolvimento com os políticos da legenda e, inclusive, durante campanha, registrou vários momentos ao lado não apenas de Ermício Sena, mas também de outros políticos como Daniel Zen, atual líder do governo de Sebastião Viana, na Assembléia Legislativa do Acre (Aleac).
No FaceBook, Zanon escreveu uma nota em que afirma ter recebido apoio de membros do partido dos Trabalhadores para realizar o Sara de Ateus. “Recebemos auxílio de alguns membros do PT e por isso fiz QUESTÃO de colocar o logo do governo, pois sei que este governo é um governo preocupado com minorias, como somos nós”, afirma ao dizer que no “ano que vem tem mais”, ao sugerir o uso de palavras de baixo calão.
Ainda segundo o jovem, a ação do PT em emitir Nota se isentando foi “precipitada”. Zanon justifica a afirmação dizendo que “depois da publicação do caso na página do Pastor/homofóbico Marco Feliciano, ficou parecendo que os dois [Ermício e Feliciano] estão no mesmo lado”, ao finalizar dizendo que “O PT não tá podendo escolher aliado não”.

Pastores e bispos evangélicos do Acre repudiam Bíblia queimada na Ufac e financiamento público do sarau ateu

unnamed (1)
Lideres evangélicos mostram suas bíblias em ato
A Bíblia Sagrada queimada durante um sarau de um grupo de ateus na Ufac gerou uma guerra não santa na sociedade acreana e ganha enorme repercussão. Depois de o pastor Marco Feliciano, deputado do PSC de São Paulo se pronunciar via Facebook contra o ato afirmando que irá pedir abertura de inquérito policial sobre o caso, as duas entidades máximas que representam os pastores, apóstolos e bispos locais, o CIPU (Conselho Internacional de Pastores Unidos) e a Ameacre (Associação dos Ministros Evangélicos do Acre) repudiaram através de nota o ato praticado pelo vocalista da banda Violação Anal.
Na nota, as duas entidades repudiam o ato como “insano e irresponsável, praticado pelo vocalista da banda violação anal, que durante um sarau, na Universidade Federal do Acre, queimou a Bíblia Sagrada, tendo ainda jocosamente escarnecido dos Cristãos”.
As duas instituições lamentam ainda, o fato de o sarau ateu ter sido financiado com dinheiro público “extraído dos impostos dos também cristãos”. “Infelizmente, é penoso saber, que o dinheiro publico, extraído dos impostos dos também Cristãos, tenha financiado eventos que afloram a intolerância religiosa”.
A nota foi redigida após ampla discussão entre os ministros evangélicos nesta quinta-feira.

quinta-feira, 7 de maio de 2015

MARCO FELICIANO QUER INQUÉRITO PARA APURAR BÍBLIA QUEIMADA

FELICIANO_01
Um jovem queimando um exemplar da Bíblia em um encontro de ateus,  na Universidade Federal do Acre, na semana passada, ganham repercussão nacional.

O pastor Marco Feliciano, deputado federal pelo PSC de São Paulo, destacou em sua fanpage que o ato é  uma “deflagração do ódio”. O pastor e deputado paulista disse que vai pedir à Polícia Civil do Acre que instaure inquérito sobre o caso para que “fatos lamentáveis” como esse não se repitam.
Leia a mensagem do pastor e deputado Marco Feliciano:
DEFLAGRAÇÃO DO ÓDIO
É com enorme indignação que escrevo esta matéria para tratar de fatos gravíssimos ocorridos no Campus da Universidade Federal do Acre, espaço público acadêmico cedido a um evento autodenominado “4º Encontro Nacional de Ateus”, onde participantes queimaram um exemplar da Bíblia Sagrada.
É inacreditável que fato tão lamentável em si mesmo, tenha ocorrido em Próprio Público de uma Universidade Federal, com usos de cartazes com o logotipo de Partido dos Trabalhadores, pois, o organizador explica esse procedimento por ter tido o apoio desse Partido Político .
O responsável por tão nefasto evento, Senhor Felipe Zanon, em seu fanpage acintosamente como dono da verdade e acima das leis afirma não tolerar qualquer tipo de censura e diz “no dia em que um artista fosse censurado no palco, seu lugar de direito, seria melhor acabar com toda cultura e toda arte”.
Como pode um espaço cultural que é o de uma Universidade ser entregue a um boçal que faz tal afirmação se esquecendo que vilipendiar símbolo religioso é crime, portanto se sua teoria fosse aplicada de forma analógica, um artista no palco poderia cometer qualquer tipo de crime em nome de uma absurda ilimitada liberdade artística.
Vou representar à Polícia Civil do Estado do Acre para que instaure Inquérito Policial para apurar responsabilidades e seus autores, para que fatos lamentáveis como esse não se repitam, e que se lembrem que vilipendiaram um símbolo muito caro a maioria do Povo Brasileiro, se colocando ao nível dos mais sórdidos seres que nem merecem o nome de humanos.
Finalizo esse protesto, lembrando a minha condição de Pastor pedindo a Deus que ilumine essas mentes com a luz do conhecimento que liberta e derrame as mais especiais bênçãos dos Céus sobre todo Povo do lindo Estado do Acre.

ATEU PROMETE QUEIMAR BIBLIA EM FRENTE A REITORIA DA UFAC

unnamed (1)
Ateu, Zanon tem uma extensa ficha de problemas com a lei
Em entrevista a reportagem do ac24horas, o organizador da 4º edição do Encontro Nacional de Ateus (ENA), Felipe Zanon, explica que o ato de queimar a bíblia sagrada não tinha como objetivo incitar qualquer sentimento de intolerância religiosa, mas de repudiar “o mal causado pela igreja no que diz respeito aos massacres ocorridos ao longo da história do cristianismo”. Ele diz não ter presenciado o ato, mas autorizou o feito. Zanon é formado em história e estuda o 3º período do curso de Direito da Universidade Federal do Acre (Ufac).
A reportagem tentou contato com o autor do ato, o estudante do curso de filosofia e vocalista da banda Violação Anal, Roberto Oliveira, mas não obtivemos resposta. Ele queimou um exemplar da bíblia em meio a apresentação da sua banda, na 4º edição do Sara(te)u – Uma noite dionisíaca realizada na Ufac.

Questionado quanto ao fator fé x intolerância religiosa, Felipe Zanon é categórico: “Eu acredito em mim mesmo, no que sou, no que posso! Respeito os demais, suas crenças…Não temos problema nenhum em quem crer ou não em Deus. Nós buscamos a laicidade do Estado, queremos um estado sem religião, todos merecem o mesmo respeito, inclusive falam em perseguição, mas nós é quem sofremos perseguição por sermos ateus, porque somos minoria. Nossos cartazes foram rasgados aqui nas dependências da Ufac, até o outdoor com a divulgação do nosso evento foi retirado”.
Com relação aos atos de depredação ocorridos no dia do evento, Zanon destacou que não é a primeira vez que isso ocorre e que outros eventos culturais ocorriam na mesma noite, não podendo, segundo ele, a culpa recair sobre os frequentadores e organizadores do Sara(te)u . Ele alega que em eventos anteriores atos de vandalismo e brigas sempre ocorrem, porém a administração da universidade nunca havia tomado nenhuma medida cabível e diz se sentir perseguido.
“Somente agora a reitoria da Universidade Federal do Acre decidiu tomar uma atitude mais drástica, aproveitaram o que aconteceu (queimação da bíblia) para pegar carona e nós colocarem como culpados”, disse Felipe Zanon, que aproveitou para mandar um recado nada amistoso ao reitor da Ufac, Minoro Kimpara. “Se a reitoria não aclarar e rever a situação que levou a suspender os eventos, bem como a real motivação acerca da proibição de novos eventos musicais, eu mesmo vou tocar fogo em outra bíblia, desta vez na frente da reitoria. Daí sim, terão motivos para me culpar realmente porque até agora estou sendo culpado por algo que não fiz”.
Por fim, Zanon explica que o evento não contou com o patrocínio, nem apoio de políticos. Ele afirmou que alguns foram convidados para o debate que antecedeu a programação, no dia 30 de abril, mas que alguns deles não puderam comparecer ao evento, onde seriam palestrantes, entre eles, Francisco Nepomuceno, o Carioca do PT, que cancelou sua participação no debate devido a agenda governamental.
Conhecido por fazer parte de uma das alas mais radicais do PT no Acre, Felipe Zanon, que é estudante de direito na Universidade Federal do Acre, já foi policial militar, mas foi expulso da corporação por indisciplina.  Em julho do ano passado,  o petista foi preso preventivamente acusado de agredir e chantagear garotas com vídeos íntimos. Ao menos quatro jovens, com idades entre 16 e 21 anos, denunciaram o rapaz.

Reitor afirma que medidas administrativas estão em curso e culpados serão punidos

unnamed (2)
Reitor Minoru Kimpara lamenta ação ocorrida na Ufac
O reitor da UFAC, Minoru Kimpara, afirma que a suspensão foi adotada em virtude de atos de vandalismos e não, especificamente, pela queima da bíblia. Entre os atos de vandalismo foram registrados a quebra de vidros de janelas, portas, veículos e outros prejuízos ao patrimônio público. Kimpara disse que a suspensão das atividades culturais, especificamente as de apresentação musicais e de bandas, foi a forma mais sensata até que sejam discutidas alternativas para evitar novas ocorrências envolvendo vandalismo e consumo de bebidas alcoólicas nas dependências da universidade. As demais atividades culturais seguem conforme calendário da instituição.
Ele destacou ainda que está em curso um processo administrativo, que irá apurar as responsabilidades e identificar os autores dos atos de vandalismo ocorrido nas dependências da universidade. Ele assegurou que será dado o direito à ampla defesa dos envolvidos. Os encaminhamentos do processo culminará com uma Resolução Interna que irá impor regras, limites e responsabilidades aos acadêmicos, bem como as medidas punitivas de acordo com casos específicos àqueles que cometerem atos de vandalismo ou forem enquadrados em práticas ilícitas dentro da instituição de ensino superior.
”Essa medida preventiva (proibitiva) tem como objetivo evitar que ocorram novas brigas ou maiores incidentes e até casos de agressão nas dependências da universidade. É preciso que haja um controle maior na segurança dos estudantes que participam das atividades culturais e de lazer. Nossa meta é oferecer um ambiente atrativo dentro do espaço acadêmico, mas para isso é preciso atentar para cuidados com a segurança na realização desses eventos. Esses cuidados não são somente visando o bem patrimonial, mas principalmente a preservação da vida dos nossos acadêmicos e daqueles que visitam e participam das atividades culturais ofertadas na instituição”.

Reitor lamenta a queima da bíblia e diz que ato é um desrespeito as demais crenças

Quanto à queima da bíblia, Minoru disse lamentar e considerou o ato uma agressão às demais crenças. “É lamentável agredir a crença das pessoas, eu fiquei triste porque as pessoas tem o direito de crer ou não, de defender suas posições políticas, suas convicções, mas para tudo isso é importante o respeito. A Ufac é um espaço plural, lugar de cristãos e das pessoas de diferentes religiões, dos que creem e dos ateus também. Eu defendo uma Ufac uma sociedade e um estado laico que garanta a convivência respeitosa entre ateus e cristãos de diferentes religiosidades. A intolerância precisa ser exercida, sim, mas contra a corrupção e a miséria que a assola nosso pais e grande parte do mundo”.

AINDA BEM QUE EU NÃO SOU DEUS... No Acre, Jovem fuma folha da bíblia sagrada e publica nas redes sociais

biblia
No Acre, a banalização em torno da Bíblia Sagrada parece não ter limites para muitos jovens, após um acadêmico atear fogo nas escrituras em plena apresentação musical que reunia adeptos do ateísmo numa programação cultural da Ufac e outro que promete atear fogo na bíblia em frente a sala da reitoria da Ufac em repúdio a suspensão das atividades musicais na referida universidade.

Agora foi a vez de outro jovem, Jonh Meckfild Potter, entrar na onda e fumar literalmente a bíblia sagrada. Em sua fanpage, o rapaz de Rio Branco, Acre, se auto intitula bruxo satanista e EMO, publicou na terça-feira,5, um foto com uma das páginas da bíblia enrolada em forma de cigarro, onde ele tragava as escrituras e afirmava estar “viajando na palavra De deus ué…kakakkakaka” (sic).
O que dá a entender que ele, possivelmente, teria utilizado algum tipo de droga não licita para enrolar na página da bíblia e fumá-la. Com veste negras e um acessório no nariz que imita um chifre, o jovem escreve acima da imagem a seguinte frase: “enfim a bíblia serviu pra alguma coisa”.
A atitude do jovem causou revolta em centenas de pessoas de sua rede e ainda outros que acabaram compartilhando em protesto a atitude desrespeitosa do rapaz, mas mesmo diante dos protestos, ele parece não se importar com as ofensas, tampouco com as considerações para que tenha respeito à palavra de Deus.
Na fanpage do rapaz não é possível identificar o local que estuda ou estudou, nem familiares. Em sua capa de apresentação, ele tem uma imagem demoníaca e parece ser avesso a qualquer tipo de religião, usa roupas negras, cabelos longos caindo sobre o rosto e unhas enormes.

sábado, 2 de maio de 2015

BATISMO NOVA CANAÃ - 01.05.15

O dia do trabalhador na Igreja Batista Nova Canaã foi marcado pelo Batismo de 18 Novos Membros e por um belo dia de lazer. 

Confira os melhores momentos.